Thursday, February 17, 2005

Braga - Benfica: Ser ou não ser... Ultra

Porque nesta época a minha vida académica mais se assemelha ao calendário do Benfica - apertado e decisivo - tive que faltar a outra deslocação.
Ora, apesar de eu ser um habitué dos jogos do meu clube, há ainda coisas que estão à frente do mesmo. A pergunta - e debate que vos lanço - é: até onde é preciso ir para se ser Ultra. E, claro - interessará "ser Ultra" para alguma coisa?
Para já, há que tentar definir "Ultra". Podemos ver a coisa de duas maneiras: a primeira como um adepto fanático, pertencente a uma claque que vai a todos ou quase todos os jogos. Tem um certo número de comportamentos padronizados que variam bastante consoante o grupo e a pessoa em si (o que torna o "padronizados" fora do contexto, mas adiante). Outra definição será umas mais... lírica. Ultra é aquele que vive para o clube, que só vê o mesmo à frente e que sacrifica tudo para o ver e apoiar.
A questão é que eu me sinto confortável na primeira definição: de facto, vou à maioria dos jogos, mas não vou deixar de comer por não ir ver um. Da segunda, obviamente, desmarco-me. Até porque tenho um respeito muito grande por todos os que são assim, e acho que até seria insultuoso comparar-me aos mesmos. Mas se é a segunda definição a aplicável, quantos verdadeiros existirão em Portugal e no Mundo?
Outro ponto importante é que o faltar a um jogo não me faz mais ou menos Benfiquista. O meu Benfiquismo, lamento não ter modéstia nenhuma em dizê-lo, é inquestionável.
Então, porque discuto eu isto? Porquê discutir uma definição, quando há outra - o clubismo - maior e subjacente por trás? Porque ser adepto é isto mesmo. É amar tanto um clube que, apesar de racionalmente sabermos que nos é impossível segui-lo a todo o lado - nos fica sempre um espinho cravado em cada jogo que faltamos, como se fosse um pecado mortal faltar a um jogo, falhar um cântico, não levantar o nosso estandarte. E deste pecado nasce uma vergonha por usarmos uma definição - a de Ultra - que porventura só se aplicará aos que não cometem este tipo de pecados (e ainda os há aqueles que sendo "Ultras" por comportamento, rejeitam a definição).
É uma discussão quase circular e, porventura, sem sentido algum. Um abraço Benfiquista à espera de comentários e de discussões (sem insultos...) ainda para mais porque no universo do apoio ao nosso Mágico Clube, estas definições mais confusas são.

14 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Boa questão, o que é ser "Ultra"... mas sinceramente tb não o sei definir!
Na minha opinião penso que o importante é estar ao lado do nosso clube nos bons e principalmente nos maus momentos; pois é aí que se vê quem são os fieis, os ferranhos e os que sentem o emblema... sendo Ultra, Casual ou o que se queira chamar ou autodenominar! Nos bons momentos é sp mais facil lá estar; pois aí ate o adepto do lenço branco e do assobio lá está para aplaudir!

Resumindo, sinto-me bem é em seguir o SLB...e não me conformar... durante os 90min apoiar aquelas camisolas o mais que posso e viver boas aventuras com os meus amigos!

Aquele Abraço!!

Nós que Amamos o BENFICA Somos Assim!

MS VE

3:48 PM  
Blogger Tiago Xunga said...

Ser ultra também é estar com o clube noutras modalidades como tivemos na 3ª na Parede a ver mais uma vez a nossa equipa de Hoquei Ganhar aos eternos marretas!!!!

10:09 AM  
Anonymous Anonymous said...

Já pensaste editar um livro?

5:10 PM  
Anonymous Anonymous said...

Não faço ideia, mas a forma como sinto as coisas é a seguinte:

É morrer um bocadinho por cada vez que perdemos e ressuscitar outro tanto quando ganhamos. Acho que é um casamento para a vida inteira, com tudo a que tem direito, nos bons e maus momentos, na saude e na doença, bla,bla,bla...
É perdoarmos sempre as traições - derrotas - e vivermos intensamente as alegrias como algo pessoal e nosso!
É pensar que se este grupo que nos une deixasse de existir seria como um grande vazio na minha vida.
Por isso é importante nunca deixarmos de lutar por ele!!

P.S: Para quando o livro??

Beijos,
Inês

4:35 AM  
Anonymous Anonymous said...

lol,manel,agora querem-te escritor????q assim seja meu amigo,se kiseres escrevo o prologo.abraço,fernando

11:24 AM  
Anonymous Anonymous said...

lol,pah manel agora querem-te como escritor???q seja,se kiseres escrevo o prologo meu amigo.akele abraço oh cromo,a malta agora vai pa jantarada e tu n sei onde.fernando

11:27 AM  
Blogger SL Benfica Ultra said...

Bom jantar ó homem do prólogo!
Quanto à do escritor, já prometi pensar no assunto, mas agora não que tenho muito que fazer...

Abraço a todos!

12:49 PM  
Anonymous Anonymous said...

A definição claqueiros não vos serve?

4:25 AM  
Anonymous Anonymous said...

Essa do espinho tem muito que se lhe diga. A mim parecem-me mais grandes punhais que me atravessam o coração, cada vez que não estou in loco, a participar no apoio.
E este ano tenho sentido um punhal praticamente todas as semanas, já que tenho estado em falta no apoio ao Grande SLB. Sempre sofri as derrotas intensamente, estando no estádio, mas tendo tido esta realidade de não estar presente nos jogos desta temporada, posso-vos garantir que custa MUIIITO mais ser adepto de sofá.
Abraços a todos os benfiquistas, principalmente aqueles que SEMPRE FORAM E SEMPRE SERÃO do SLBenfica, na vitória e na derrota !! Sem vergonhas !!

7:42 AM  
Blogger Tiago Xunga said...

Depois d ever o jogo de ontem do Benfica em Itália, pensei para comigo: Aqueles gajos atrás da baliza gritam mais num jogo de hoquei q os ultras do benfica num de futebol, do que os do benfica na Parede na 4ª feira! mas para mim ser ultra, é subjectivo, pois não é ir a todas, não é cantar sempre! É viver o clube, é sentir a cor o calor e a vitória, sofrer na derrota e , como se disse nuns posts atrás: " nem q fossem 11". porque se na 5ª for muita gente, se hoje n tivessemos ganho ao Guimarães ng ia! Mas eu estaria lá sempre!

Já agora, como é as Antas?

Abraço e parabéns pelo Blog

4:40 PM  
Anonymous Anonymous said...

Os grupos ultras do Benfica atravessam uma fase muito má . Como é possível um clube como ao nosso , ontem com o Guimarães , ter 50 Diabos a apoiá-los??

5:25 PM  
Anonymous Anonymous said...

Tanto n é possivel que n é verdade. N eramos 50, eramos bem mais. Se dissesses que so 50 é q cantavam, entao estaria de acordo ctg. E eu continuo na minha: preferia sermos 50 e cantar 50. Mas isso n vem ao caso para o assunto deste texto que o autor do blog nos presenteia mais uma vez. Sinceramente discutir ultra tem tanto de subjectivo como de apaixonante, por isso acaba por ser interessante ouvir o q cada um tem para dizer. Para mim, mais importante q ser ultra é sentir ultra. E eu acho q é aqui q se encontram as verdadeiras diferenças. Mtas vezes a disponibilidade, e pq nao a vontade tb, não permite que às vezes estejamos presentes nos jogos. Os "difidatti" n deixam de ser ultras pq estao proibidos pela lei de assistir a jogos do seu clube. Pelo contrario, esses, porventura, sao bem capazes de ser os verdadeiros ultras. O facto de estarem proibidos, foi pq tiveram algum acto irreflectido (ou não). Ou as vezes por injustiça e má aplicaçao da lei. De qq forma, e em qq caso, isto faz parte da cultura ultra. Mas eu talvez resumiria td a uma frase: ser ultra é ficar spr com a sensação que procuramos spr mais qq coisa. Olhem, nao sei. É isto mesmo. É n saber definir pq o importante é sentir.

1904 fans

7:40 AM  
Anonymous Anonymous said...

ser ultra...ir aos estadios e cantar antes, durante e depois do jogo, sempre com alma cheia por estarmos rodeados de amigos a apoiar o clube do coração...para mim é mais ou menos isto, com uns litros de cerveja e vinho á mistura e com umas rixas e uns insultos sempre bem vindos para aquecer os ânimos!
quanto aos 50 de ontem, bem podiam estar mais mas a mim pareceu-me que nem 50 cantaram, e os que cantaram, cantaram sem tesão, o que é quase o mesmo que estarem calados...

5:48 PM  
Blogger SL Benfica Ultra said...

Amigos: obrigado pelos comentários. Prometo fomentar mais a discussão depois de sexta feira (em que acabo a época de exames...).
Abraços

11:28 AM  

Post a Comment

<< Home