Monday, November 20, 2006

Movimentos II: Pirlo

Pirlo nunca percebeu porque é que aquela gente corre tanto. Porque é que há gente que se esfola, que faz correrias desnecessárias e, heresia das heresias, porque é que há médios que insistem em levar a bola até aos pés dos avançados. Há médios que, entre a azelhice e o paternalismo, insistem em entregar a bola quase no pé do avançado, sendo mais um obstáculo a linhas de passe, arranques, remates, tudo.
Pirlo é um tipo calmo que acha que é a bola que deve correr. Para quê furar um muro se há um buraco no mesmo onde a bola cabe? Para quê ir lá à frente entregar a bola "ao domicílio" quando se pode entregá-la daqui? Pirlo é um jogador de espaços (ocupa-os e encontra-os) e chega a ser difícil imaginá-lo num lance de choque. É o médio clássico que joga de pantufas, o último dos intelectuais.
Num campo cheio de trânsito, de médios que têm que correr por dois e onde encontrar espaço para estar já é difícil (espaços para movimentos, nem se fala), Pirlo é um homem "old school", que decidiu que não se deve ir de carro nem de transportes públicos. Manda-se a bola entre essa gente toda (a assistência para o golo de Grosso, nas meias do Mundial) e é muito mais rápido.

2 Comments:

Anonymous t. said...

Como calculas, nunca pus a vista em cima de nenhum Kaká nem de nenhum Pirlo. Mas percebi que jogam e pensam a velocidades diferentes, o que me fez lembrar os diferentes andamentos de um metrónomo. A propósito do registo, tinha-te dito que o Movimentos I fazia lembrar um relato radiofónico em directo; o II parece-se mais com os programas que dão ao domingo de manhã numa Antena qualquer, de conversa com uma personalidade bem-falante. Talvez por ele ser o último dos intelectuais.

beijinhux

10:40 AM  
Anonymous Anonymous said...

o teu blog n vale nada

12:24 PM  

Post a Comment

<< Home